PMA reúne agricultores e discute programas, serviços e melhorias

Foto: Decom/PMA

A Prefeitura Municipal de Areia reuniu os agricultores da cidade na manhã desta sexta-feira, 6, na sede do Emater para discutir melhorias implantadas para a agricultura local e alertar sobre obrigações dos produtores. Durante a reunião, foram esclarecidos pontos como, por exemplo, o Cadastramento Ambiental Rural, vacinação dos animais, Imposto sobre Território Rural, parcerias com a Emater, a falta de água nas comunidades, funcionamento dos carros-pipas, abastecimentos por cisternas, recuperação de estradas vicinais, dentre outros assuntos.

“Estarei sempre à disposição do Conselho e dos agricultores para estimular e desenvolver a agricultura do nosso município. Nosso trabalho tem como foco principal realizar parcerias com a comunidade agrícola e aperfeiçoar os projetos já existentes, trabalhando para que possamos ter bons resultados”, disse o Secretário de Agricultura Irisvaldo Nascimento.

Também foram esclarecidas as dúvidas sobre as inscrições para o programa Garantia-Safra 2017/2018 na zona rural de Areia. Os agricultores que desejarem aderir ao programa têm de constar a área a ser plantada com feijão, milho, arroz, mandioca ou algodão. “O programa do Seguro-Safra é muito importante, não só para os agricultores, como também para o município no geral, pois consiste em uma garantia para aqueles agricultores que perdem suas lavouras, e para movimentar a economia dos pequenos municípios paraibanos. Todo o cronograma de cadastramento está sendo disponibilizado pela Emater”, disse o Consultor do Garantia-Safra do Estado da Paraíba, Rani Fábio Macedo. O Seguro este ano foi pago depois que a PMA efetivou o pagamento das contra-partidas do município que estavam em atraso desde 2016.

A reunião também teve como pauta de debate o trabalho infantil. Os agricultores forem orientados sobre a nova legislação que não permite a exploração do trabalho infantil, prática comum na zona rural.

A Técnica de Referência das Ações Estratégicas do Peti, Camilla Fucale, realizou uma palestra com os agricultores. Ela conscientizou sobre a ilegalidade da exploração da mão-de-obra das crianças e adolescentes e a necessidade de garantir que eles frequentem a escola e atividades socioeducativas. “Nosso encontro foi feito para conversar com os agricultores do nosso município para falar um pouco do Peti e educá-los sobre essa nova exigência”, disse.