Grupo teatral Recreio Dramático ressurge junto com Teatro Minerva

Grupo vai apresentar peça “Me conta que eu faço de conta” (Foto: Cynthia Nascimento)

Na próxima sexta-feira, 10, o Teatro Minerva, mais antigo teatro da Paraíba, será reaberto na cidade de Areia. Uma das atrações do fim de semana de programação pela reabertura do Minerva é o grupo de teatro local “Recreio Dramático”, que comemora 13 anos de formação, com um espetáculo original de autoria da companhia para marcar a reinauguração deste espaço das artes. Durante o período em que o Teatro Minerva ficou desativado e depois passou por reforma, o grupo interrompeu as apresentações pela dificuldade de um espaço para realizar os ensaios.

Recreio Dramático foi o primeiro nome do teatro areiense, e foi o nome escolhido pelo grupo pela relação dos atores com o lugar. “Teatro para quem faz teatro é um templo. Carregamos o seu primeiro nome, pois temos uma relação muito especial com ele. Não o vemos apenas como um prédio, mas sim como um lugar vivo, e pela relação afetiva que temos, chegamos a nos sentir em casa aqui, e por nos sentirmos tão parte desse lugar, escolhemos que o nome do grupo fosse o primeiro nome do Teatro Minerva,” explicou a teatróloga Ana Nunes, uma das fundadoras do Grupo Cênico Recreio Dramático.

Jornalista Hermano Júnior em cena na peça “Me conta que eu faço de conta”. (Foto: Cynthia Nascimento)

O jornalista Hermano Júnior, que também é um dos fundadores do grupo teatral, deseja que com a reabertura do Minerva, o público que foi conquistado pelo trabalho que os grupos fizeram durante anos, retorne a frequentá-lo. “Esperamos que com a volta do teatro o nosso público não tenha se perdido, e que o teatro seja visto não apenas como um ponto turístico, mas sim, um ponto que reúne vários artistas e atrações de Areia e de outras cidades,” acrescentou.

O Recreio Dramático se apresenta no domingo, dia 12, a partir das 15h. A peça “Me conta que eu faço de conta” foi estreada em 2015 e é uma obra de metalinguagem sobre o próprio teatro. Crianças se junta no porão de uma casa para brincar de contar histórias e acabam falando do teatro fazendo intertextualidade com outras grandes peças da dramaturgia. Para Ana Nunes, voltar a atuar no Teatro Minerva é especial. “Esse é um lugar que exala história e cultura, motivo de orgulho não só para os integrantes do grupo, que têm a maior relação com o espaço, mas também para todos os areienses”, finalizou.

Sobre o Recreio Dramático

O grupo Recreio Dramático foi fundado em 2004. A iniciativa surgiu de alguns integrantes que já participavam de outro grupo de teatro na cidade. De acordo com Ana Nunes, com as ideias e a criatividade aflorando, eles acabaram divergindo de alguns acontecimentos dentro do próprio grupo e, a partir desse momento, os atores Hermano Junior, Ana Maria Nunes, Rachel Cavalcanti e Cintia decidiram criar o Recreio Dramático, com o objetivo de impulsionar a atividade cultural na cidade, movimentando o próprio teatro com artistas locais.

O primeiro passo para consolidar o grupo foi identificar novos atores na cidade. A companhia chegou a ter em torno de 16 integrantes. Algumas dificuldades foram surgindo, principalmente pela falta de espaço para fazer os ensaios. A primeira reunião do grupo foi no beco do próprio teatro, e as outras nas casas dos integrantes. Depois de alguns meses, eles conseguiram um espaço cedido pela Paróquia da cidade no prédio do Padre Ibiapina, mas tiveram que deixar o local e conseguiram um espaço no Centro Social Urbano. Por fim, o Teatro Minerva abriu as portas para o grupo que carrega um traço da sua história. Desde a desativação do local e a posterior reforma, eles já migraram para o Casarão José Rufino e o Museu Regional de Areia, e atualmente estão na sala cedida pela Prefeitura Municipal de Areia no Mercado Público até que o teatro seja definitivamente reaberto.

Outro fator de dificuldade, mas que não era considerado um problema maior pelo grupo, foi o financeiro. Mas a criatividade e a vontade de superação não deixaram esse quesito atrapalhar os planos da equipe. O figurino era usado ou reaproveitado. Para arrecadar dinheiro para melhorar as peças e ajudar nos custos, o grupo promovia eventos de shows de calouros, visitava cada comerciante da cidade em busca de patrocínios e, em união com os demais grupos da cidade, montou o Evento Minearte, que foi em prol de arrecadar dinheiro para pagar as contas do próprio Teatro Minerva.

Peça Adorável Família. (Foto: Arquivo da Companhia)

Após 6 anos de formação, o Recreio Dramático foi beneficiado com um projeto de lei municipal que pagaria um subsidio para auxiliar o grupo a se manter, com despesas como locação de uma sede, renovação de figurino e maquiagem, e custear despesas de locomoção de integrantes que estudavam em outras cidades para vir a Areia para os ensaios. As subvenções estavam bloqueadas, mas foram reativadas este ano pela Prefeitura Municipal de Areia.

O Recreio Dramático já coleciona participações na Mostra de Teatro Infantil da FUNESC; Mostra de Teatro e de Dança Estadual; Mostra SESC Curumim; Festival de Artes Universitário; Rota Cultural Caminhos do Frio; e prêmios de Atriz Revelação e Elenco Revelação no espetáculo “A batalha da vírgula contra o ponto final”.