Areia divulga primeiro índice de infestação do Aedes aegypti em 2018

Agentes fizeram visitas a residências da área urbana para fazer levantamento. (Foto: Decom/PMA)

A Secretaria de Saúde de Areia finalizou o primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti em 2018 na cidade. De acordo com o LIRAa, foram encontrados focos do mosquito em 4,7% das casas visitadas pelos Agentes de Combate às Endemias. A maior parte dos focos foi encontrada no Centro da cidade.

De acordo com o Ministério da Saúde, a partir de 4.0%, o índice é considerado alto e é grande o risco de proliferação das doenças transmitidas pelo Aedes, mas de acordo com a Vigilância Ambiental de Areia, o índice é o mais baixo da região do Brejo paraibano e não houve nenhum registro de caso suspeito de dengue, zika ou chikungunya em janeiro.

“Estamos na estação do verão, quando o ciclo de reprodução do mosquito é mais rápido e, por isso, o índice costuma ser maior do que o normal”, explicou o Coordenador de Vigilância Ambiental, Chico Jardelino.

Agentes fazem tratamento de água e combate aos focos. (Foto: Decom/PMA)

Apesar disso, os moradores precisam continuar combatendo o mosquito e prevenindo as doenças. “Fazemos a borricação, colocamos o larvicida, retiramos superfícies que podem servir como depósito da água, mas a população precisa colaborar para baixarmos ainda mais este índice”, disse Luciano Gomes, Agente de Fiscalização Sanitária.

O trabalho é desenvolvido por 8 agentes. Cada um deles fica responsável por de 750 a 1000 imóveis e fazem a visitação a cerca de 30 casas por dia.